Pular para o conteúdo

Seplan – Acre

Principais indicadores inflacionários do Brasil

    Ano Índices (acumulados/ano - % )
    IPCA INPC IGP-M
    2002 12,53 14,74 25,30
    2003 9,3 10,38 8,69
    2004 7,6 6,13 12,42
    2005 5,69 5,05 1,20
    2006 3,14 2,81 3,85
    2007 4,46 5,16 7,75
    2008 5,9 6,48 9,81
    2009 4,31 4,11 -1,71
    2010 5,91 6,47 11,32
    2011 6,5 6,08 5,10
    2012 5,84 6,2 7,81
    2013 5,91 5,56 5,53
    2014 6,41 6,23 3,67
    2015 10,67 11,28 10,54
    2016 6,99 6,58 7,19
    2017 2,95 2,07 -0,53
    2018 3,75 3,43 7,55
    2019 4,31 4,48 7,31
    2020 4,52 5,45 23,13
    2021 10,06 10,16 17,79
    2022 5,79 5,93 5,46

    Fonte: IBGE (IPCA e INPC); Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas – FGV IBRE (IGP-M).

    Nota:   IGP-M: Índice Geral dos Preços – Mercado. Composto  pela média aritmética ponderada de três índices:  IPA (Índice de Preços no Atacado);  IPC (Índice de  Preços ao Consumidor) e INCC   (Índice Nacional do Custo da Construção).  
    Conforme o IBRE,  o IGP afere a evolução do nível de preços, é utilizado como deflator de valores nominais de abrangência compatível com sua composição e como referência para a correção de preços e valores contratuais.
    IPCA: Índice de Preços ao Consumidor Amplo. Calculado para as regiões metropolitanas, mede a variação nos preços de produtos e serviços  consumidos pelas famílias com renda entre 1 e 40 salários mínimos.
    INPC: Índice Nacional de Preços ao Consumidor. Calculado para as regiões  metropolitanas, mede a variação nos preços de produtos e serviços  consumidos pelas famílias com renda entre 1 e 8 salários mínimos. 

    Pular para o conteúdo